Reconocimiento de competencias experienciales de adultos, en Portugal (2001-2011): hallazgos y debilidades

Pedro Abrantes, Alexandra Aníbal

Resumen


Basados en una tesis de doctorado y en un proyecto de post-doctorado en este tema, los dos autores describen y analizan el programa de reconocimiento, validación y certificación de competencias experienciales (RVCC)  desarrollado en Portugal, en la primera década del siglo XXI, permitiendo la mejora de los niveles educativos de más de un 5% de la población. El primer apartado debate los fundamentos teóricos y metodológicos del modelo innovador que se ha creado para la educación y acreditación de adultos. En el segundo, se detallan los agentes, etapas y dinámicas del proceso de RVCC. El tercero sintetiza las principales evaluaciones nacionales del programa que se han llevado a cabo. Y el cuarto apartado subraya algunos resultados de investigaciones cualitativas recientes de los autores sobre las dinámicas sociales generadas por el programa. En la conclusión, se reflexiona sobre los logros y fracasos del programa, proponiendo algunas pautas para futuros planteamientos en este campo.

 

Based on a PhD thesis and a post-doc project focused on this topic, the authors describe and analyse the programme of skills recognition, validation and certification, as it was developed in Portugal during the first decade of the 21st century, enabling the qualification of more than 5% of the active population. In the first section, this innovative theoretical and methodological framework for adult education and certification is discussed. Secondly, main agents, stages and dynamics of this process are sketched. In a third section, the main results of the programme’s national evaluations are synthetized. And in the fourth one, key social dynamics observed through qualitative research are underlined. In the conclusions, programme’s achievements and failures are systematized and some remarks for future interventions in this field are sketched.

 


Palabras clave


educación de adultos; competencias; descalificación; integración social; reflexividad; adult education; competences; de-qualification; social integration; reflexivity

Citas


Abrantes, P. (2013) Socialization and inequality: A biographical approach to the working class in Portugal. Current Sociology, Vol. 61, Núm. 7, pp. 984-1002.

____ (2013) ¿Cómo se escribe la vida? Un estudio de la socialización a través del método biográfico. Revista Mexicana de Sociología, Vol. 75, Núm. 3, pp. 439-464.

Abrantes, P., Aníbal, A., Paliotes, F. (2010) Do método biográfico em Sociologia da Educação. En Sociologia da Educação: Revista Luso-Brasileira. Núm. 2, pp. 5-31.

Aníbal, A. (2014) Aprender com a Vida: Aquisição de Competências de Literacia em Contextos Informais. Tesis de Doctorado en Sociología. Lisboa: ISCTE-IUL.

Antikainen, A. (1998) Living in a Learning Society: Life-Histories, Identities and Education. NuevaYork: Routledge.

Ávila, P. (2008) A Literacia dos Adultos: Competências-Chave na Sociedade do Conhecimento. Lisboa: Celta Editora.

Beck, U.; Beck-Gernsheim, E. (2003) La Individualización: El Individualismo Institucionalizado y sus Consecuencias Sociales y Políticas. Barcelona: Paidós.

Bettencourt, A. M. (org). (2011) Estado da Educação 2011: A Qualificação dos Portugueses. Lisboa: Conselho Nacional de Educação.

Bourdieu, P. (1993) A Miséria do Mundo. Petropólis: Vozes.

Canário, R.; Cabrita, B.,orgs. (2005) Educação e Formação de Adultos: Mutações e Convergências. Lisboa: Educa.

Capucha, L. (2005) Os Desafios da Pobreza. Oeiras: Celta.

____ (2010) Inovação e justiça social: politicas ativas para a inclusão educativa. En Sociologia, Problemas e Práticas.Nº 63, pp. 25-50.

Carneiro, R. (org). (2011) Accreditation of Prior Learning as a Lever for Lifelong Learning: Lessons Learnt from the New Opportunities Initiative. UNESCO Institute for LifelongLearning, CEPCEP-UCP, Menon Network.

Cavaco, C. (2007) Reconhecimento, validação e certificação de competências complexidade e novas actividades profissionais. Em Sísifo – Revista de Ciências da Educação. Nº 2, pp. 21-34.

CEDEFOP (2007) European Inventory on Validation of Non-Formal and Informal Learning 2007. Disponible em http://www.cedefop.europa.eu/EN/Files/4073_en.pdf

____ (2010) 2010 Update of the European Inventory on Validation of Non-formal and Informal Learning: Executive summary of Final Report. Disponible en: http://libserver.cedefop.europa.eu/vetelib/2011/77641.pdf. 27

CIDEC – Centro Interdisciplinar de Estudos Económicos (2004) O Impacto do Reconhecimento e Certificação de Competências Adquiridas ao Longo da Vida. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Formação Vocacional.

____ (2007) O Impacto do Reconhecimento e Certificação de Competências Adquiridas ao Longo da Vida: Actualização e Aperfeiçoamento. Lisboa: Ministério da Educação, Direção-Geral de Formação Vocacional.

Charraud, A.-M. (2010) European Inventory on Validation of Non-Formal and Informal Learning 2010. Country Report: France. Brussels: CEDEFOP.

Comisión Europea (2004) Common European Principles for Validation of Informal and Non-Formal Learning, Brussels: Unión Europea.

Couceiro, M. L. (2002) O reconhecimento de competências. Revista Saber +. Nº 13. Lisboa: ANEFA, pp. 30-32.

Fernández Enguita, M. (2001). Educar en Tiempos Inciertos. Madrid: Morata.

Freire, P. (1992) Pedagogia do Oprimido. Rio de Janeiro: Paz e Terra.

Gomes, M. C. (2012) Qualificar Adultos em Portugal: Políticas Públicas e Dinâmicas Sociais. Tesis de Doctorado em Sociología .Lisboa: ISCTE-IUL.

Gomes, M. C., Simões, M. F. (2007) Carta de Qualidade dos Centros Novas Oportunidades. Lisboa: Agência Nacional para a Qualificação.

Goodson, I. F., Biesta, G., Tedder, M., Adair, N. (2010) Narrative Learning. Londres y Nueva York: Routledge.

Josso, C. (2002) Experiências de Vida e de Formação. Lisboa: Educa.

Lahire, B. (2002) Portraits Sociologiques: Dispositions et Variations Individuelles. Paris: Nathan.

Lima, F. (2012a) Os Processos de Reconhecimento, Validação e Certificação de Competências e o Desempenho no Mercado de Trabalho. Lisboa: CEG-Instituto Superior Técnico.

____ (2012b) Avaliação dos Cursos de Educação e Formação de Adultos e Formações Modulares Certificadas: Empregabilidade e Remunerações. Lisboa: CEG-Instituto Superior Técnico.

Melo, A. (2003) Em Portugal: Uma Nova Vontade Política de Relançar a Educação e Formação de Adultos? Rio de Janeiro: ANPED.

Melo, A., Benavente, A. (1978) A Educação Popular em Portugal. Lisboa: Livros Horizonte.

Melo, A., Lima, L.; Almeida, M. (2002) Novas Políticas de Educação e Formação de Adultos: O Contexto Internacional e a Situação Portuguesa. Lisboa: ANEFA.

Paugam, S. (2003) A Desqualificação Social: Ensaio Sobre a Nova Pobreza. Porto: Porto Editora.

Pineau, G.; Le Grand, J. L. (1993) Les Histoires de Vie. Paris: Presses Universitaires de France.

Reygadas, L. (2008) La Apropiación: Destejiendo las Redes de la Desigualdad. Barcelona: Anthropos.

UNESCO (1998) V Conferência Internacional sobre Educação de Adultos: Hamburgo 1997. Declaração Final e Agenda para o Futuro. Lisboa: Ministério da Educação, Secretaria de Estado da Educação e Inovação.

____ (2009) Marco de Ação de Belém: Sexta Conferência Internacional de Educação de Adultos. Disponible en:

http://www.unesco.org/fileadmin/MULTIMEDIA/INSTITUTES/UIL/confintea/pdf/working_documents/Belem%20Framework_Final_ptg.pdf

UCP – Universidade Católica Portuguesa (2010) Iniciativa Novas Oportunidades: Resultados da Avaliação Externa 2009-2010. Lisboa: Centro de Estudos (CEPCEP), Universidade Católica. Disponible en:

http://www.novasoportunidades.gov.pt/np4/%7B$clientServletPath%7D/?newsId=1300&fileName=Microsoft_Word___Resultados_2010_da_Aval.pdf


Texto completo: PDF

Refbacks





 

ISSN: 2013-6757

 

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional