O Serviço Social nas empresas: desafios e oportunidades num campo de intervenção em transformação

Paula Ferreira

Resumen


O presente artigo tem por objetivo discutir o espaço de atuação do assistente social no contexto das empresas, sobretudo o que decorre das transformações societais mais recentes (não apenas as que resultam das profundas mudanças no mercado de trabalho e da flexibilização das relações laborais, mas também da redução do Estado de Bem-Estar na proteção aos cidadãos e, consequentemente, aos trabalhadores). Para tal, começamos por fazer um breve enquadramento socio-histórico sobre o Serviço Social de Empresa, salientando os principais momentos que marcam a intervenção do assistente social ao longo das últimas décadas neste campo, as principais causas (externas e internas) associadas a estas alterações, e ainda as suas implicações no desenvolvimento de uma verdadeira política social empresarial. Já num segundo momento debruçamo-nos sobre a atualidade (sobretudo a resultante da crise económica registada na última década) para refletir sobre as possibilidades que as diversas transformações registadas ao longo deste período colocam ao Serviço Social neste campo específico, nomeadamente em termos da apropriação de novos espaços de intervenção e de reforço da presença da profissão no campo das relações laborais.


Palabras clave


Serviço Social de Empresa; Política social de empresa; assistente social; Ocupação profissional; Campo de intervenção

Citas


Adams, R. (2009). Encountering complexity and uncertainty. Em Roberts Adams, Lena Dominelli e Malcolm Payne (Eds.). Practising social work in a complex world (pp. 15-32). New York : Palgrave Macmillan.

Association Nationale des assistants de Service Social (ANAS) (1999). Le service social dans l’entreprise, 50 èmes journées d’études du travail. Montrouge, France: ESF Editeur.

Andrade, Joaquim M. de (1971). Serviço social em empresas, Lisboa. Junta da Acção Social, Biblioteca Social e Corporativa, colecção II – formação social.

Araujo, F. C. (2010). O Serviço Social em Empresas: formulações acerca de um espaço de atuação profissional (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal do Rio de Janeiro. Brasil.

Bauman, Z. (1999). Globalization: the human consequences. Cambridge: Polity Press.

Buhr, A. (2002). A necessidade de um novo agir profissional (Tese de Barcharelato em Serviço Social). Florianopolis, Universidade Federal Santa Catarina. Disponível em: http://tcc.bu.ufsc.br/Ssocial288907.pdf

Carter, I. (1977). Social work in industry: A history and a viewpoint. Social Thought, 3(1), 7-17.

Domenech López, Y. e Gómez Díaz, J.C. (1995). Una alternativa al trabajo social institucionalizado: El trabajo social en la empresa privada. Cuadernos Trabajo Social, 3, 187-198. doi: 10.14198/ALTERN1995.3.13

Ferreira, A. (2014). Serviço Social e Desemprego de Longa Duração. Lisboa: Editorial Cáritas.

Ferreira, P. (2016). A gestão do envelhecimento no trabalho: Políticas, Actores e Estratégias para um prolongamento efectivo da vida activa (Tese de doutoramento). ISCTE-IUL, Lisboa. Disponível em: http://hdl.handle.net/10071/11542

Fraga, C. K. (2010). A atitude investigativa no trabalho do assistente social. Revista Serviço Social & Sociedade, 101, 40-64.

Freire, L.M.B. (1983). Serviço Social Organizacional: teoria e prática em empresa. São Paulo: Cortez Ed.

________ (2003). O serviço social na reestruturação produtiva: espaços, programas e trabalho profissional. São Paulo: Cortez Ed.

Freitas, C. (2016). Serviço social na empresa: fundamentos, propósitos e contributos de uma prática em expansão no século XXI (Dissertação de mestrado). ISCTE-IUL, Lisboa. Disponível em http://hdl.handle.net/10071/12548

Granja, Berta (2006). Intervir para a igualdade entre mulheres e homens no trabalho e na vida: Acções positivas e boas práticas para a construção da igualdade de oportunidades no trabalho e no emprego. Lisboa: Programa Agir para Igualdade/ EQUAL.

Iamamoto, M. V. (1998). O serviço social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. São Paulo: Cortez Ed.

Lima, M.J.O. e Cosac, C.M.D. (2005). Serviço Social na empresa. Katálysis, 8(2), 235-246.

Mouro, M. Helena F. (2006). Serviço Social e Modelos de Intervenção: da sociedade industrial à sociedade do risco (Dissertação de Doutoramento em Ciências do Serviço Social). Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar, Porto.

Netto, J. P. (2001). Cinco notas a propósito da «questão social». Revista Temporalis, 3, 41-49.

Raya Diez, E. e Caparrós Civera, N. (2013). Trabajo social en las relaciones laborales y la empresa: vías para el emprendimiento. Documentos de Trabajo Social, 5, 338-356.

Riquelme, S.F. (2013). Intervención social y desarrollo económico en tiempo de crisis. Hacia un paradigma teórico que fomente el empleo socialmente responsable. Documentos de Trabajo Social, 53, 91-107.

Rodríguez, E. (2010). Alternativas para el Trabajo Social de Empresa. Miscelánea Comillas, 68(133), 743-776.

Sachs, I. (1995). À la Recherche de Nouvelles Stratégies de Developpement Enjeux du Sommet Social. Paris: UNESCO.

______ (2011). La main visible. Réussir notre entrée dans l’anthropocène. Les leçons inaugurales du Groupe ESA. Disponível em : http://www.groupe- esa.com/medias/fichier/leconinaugurale2011entier_1359630664909-pdf

Soto Martínez, J.C. (1992). El trabajo social de empresa, un campo en proceso de cambio. Cuadernos de Trabajo Social, (4-5), 241-247.

Teles, H. (2009). A responsabilidade social empresarial e o Serviço Social (Dissertação de Mestrado). Universidade Lusíada de Lisboa, Lisboa.

_______ (2017). Serviço Social e Responsabilidade Social Empresarial Interna: os desafios contemporâneos dos assistentes sociais (Tese de doutoramento). ISCSP, Lisboa. Disponível em http://hdl.handle.net/10400.5/13689

Valverde, L.A. (1990). El trabajo social en la Empresa. Ciencias Sociales, 47, 73-80.


Texto completo: PDF (Português (Portugal))

Refbacks





 

ISSN: 2013-6757

 

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-NoComercial-CompartirIgual 4.0 Internacional