Contenido principal del artículo

Renata de Almeida Vieira
Grupo de Investigación HUM-672 A.R.E.A.(Análisis de la Realidad EducativA), de la Secretaría General de Universidades, Investigación y Tecnología, de la Consejería de Economía y Conocimiento de la Junta de Andalucía, con sede en la Universidad de Granada
Brasil
Biografía
Núm. 5 (2014), Artículos, Páginas 139-149
DOI: https://doi.org/10.30827/dreh.v0i5.7005
Recibido: Feb 9, 2018 Aceptado: Feb 9, 2018 Publicado: Mar 1, 2014
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

Na atualidade, o tema preconceito tem adquirido notoriedade, bem como tem sido abordado sob diferentes perspectivas. Para além de um objeto de estudo, tal tema constitui-se em um fenômeno social, produzido no interior das relações desiguais estabelecidas entre os seres humanos. Nessa condição, o mesmo se faz presente nos diversos espaços de convivência humana, entre eles a escola. Observa-se que à instituição escolar tem sido colocado o desafio de lidar com a diversidade humana, bem como com os processos de inclusão e de superação do preconceito. Por certo, trata-se de uma temática que precisa ser discutida por professores e pesquisadores em educação, aliando vivências e problemáticas do contexto escolar aos estudos teóricos, a fim de se desencadear uma análise frutuosa com desdobramentos na prática escolar. Esses desdobramentos têm em vista, sobretudo, contribuir para a superação de barreiras que dificultam a construção de relações que primam pela diversidade cultural e pela cidadania democrática. Nesta oportunidade, propõe-se apresentar os resultados de uma investigação acerca de pesquisas da área da Educação desenvolvidas em dois Programas de Pós-Graduação em Educação localizados na região sul do Brasil, acerca do tema preconceito.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Citas

Amaral, L. A. (1998). Sobre crocodilos e avestruzes: falando de diferenças físicas, preconceitos e sua superação. En J. G. Aquino (Coord.), Diferenças e preconceito na escola: alternativas teóricas e práticas, 11-30. São Paulo: Summus.

Bianchetti, L. (1998). Aspectos históricos da apreensão e da educação dos considerados deficientes. En L. Bianchetti; I. M. Freire (Coords.), Um olhar sobre a diferença: interação, trabalho e cidadania, 21-51. Campinas, SP: Papirus.

Borniotto, M. L. da S. (2002). A aparência física e estética dos alunos como determinantes para a exclusão: um novo olhar preconceituoso do professor no meio escolar? 212 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

Crochik, J. L. (1995). Preconceito: indivíduo e cultura. São Paulo: Robe.

Giovanella, M. C. M. N. (2009). O multiculturalismo: a sala de aula e a formação docente. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Heineck, I. J. (2011). Diversidade histórica cultural e saberes aplicados para a formação de professores (1988-2006). Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Kadlubitski, L. (2010). Diversidade cultural na formação do pedagogo. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Lopes, T. A. (2008). Professoras Negras e o Combate ao Racismo na Escola: um estudo sobre auto-percepção de professoras negras da rede pública de Educação do Estado do Paraná, de escolas localizadas no bairro do Boqueirão, do município de Curitiba, acerca de suas práticas de combate ao preconceito e a discriminação racial no interior da Escola. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Maia, M. B. (2007). Políticas de acesso a educação superior: o sistema de cotas para negros. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba.

Santana, J. (2010). A lei 10.639/03 e o ensino de artes nas séries iniciais: políticas afirmativas e folclorização racista. Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.

Schiff, M. (1993). A inteligência desperdiçada. Porto Alegre: Artes Médicas.

Tessaro, A. (2004). Estigma e preconceito como expressão da exclusão escolar: uma questão na formação de professores? 152f. Dissertação (Mestrado) – Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

Vieira, R. A. (2012). A produção social do preconceito: subsídios para formação de professores. Maringá: EDUEM.

Vieira, R. A. (2011). Contribuições do pensamento pedagógico de Georges Snyders para a abordagem do antipreconceito. 255f. Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

Vieira, R. A. (2007). Investigações sobre o preconceito constante no banco de teses CAPES: presença da abordagem histórico-cultural nos resumos em educação? 70 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Teoria Histórico-Cultural)–Departamento de Psicologia, Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

Vieira, R. A. (2008). O preconceito como objetivação humana. 121f. Dissertação (Mestrado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Estadual de Maringá, Maringá.

Wiltkoski, S. A. (2011). Educação de surdos e preconceito: bilinguismo na vitrine e bimodalismo precário no estoque. Tese (Doutorado)-Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Paraná, Curitiba.