Contenido principal del artículo

Francisco Campos
Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC)
Portugal
Biografía
Pedro Mendes
Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC)
Portugal
Biografía
Fernando Martins
Instituto Politécnico de Coimbra (IPC)Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC)
Portugal
Biografía
Elisa Ângelo
Escola Profissional de Anadia
Portugal
Biografía
Núm. 19 (2021), Artículos, Páginas 103-122
DOI: https://doi.org/10.30827/dreh.vi19.15986
Recibido: Sep 30, 2020 Aceptado: Nov 27, 2020 Publicado: Jun 22, 2021
Derechos de autor Cómo citar

Resumen

Bem-estar, estilo de vida e relacionamento interpessoal assumem um papel de grande relevância no desenvolvimento do aluno, conferindo-lhe capacidade de intervenção e entreajuda. Os objetivos do presente estudo são: a) caracterizar e comparar o sentimento de bem-estar e o estilo de vida de alunos do 7.º ano de escolaridade, no início e no fim do primeiro período; b) relacionar o sentimento de bem-estar e estilo de vida com a rejeição interpessoal, manifestada pelos colegas de turma, nas aulas de Educação Física; e c) comparar o relacionamento interpessoal, no início e no fim do primeiro período. Participaram 94 alunos dos 12 aos 15 anos de idade, de quatro turmas, de uma escola de Coimbra-Portugal. Os dados foram recolhidos através da aplicação de um questionário. Perante os resultados obtidos, sugere-se a implementação de um programa de intervenção, com características específicas, o qual poderá provocar melhorias no relacionamento interpessoal dos alunos.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Detalles del artículo

Citas

Ângelo, E.; Campos, F.; Silva, E.; Rama, L. (2019). Bem-estar, estilo de vida e relacionamento interpessoal em adolescentes. In. R. Resende; H. Sarmento; A. Marques (Eds.), Journal of Sport Pedagogy and Research - Special Edition, 5(2), 16. Rio Maior: SCPD.

Bessa, N.; Fontaine, A. (2002). Cooperar para aprender: uma introdução à aprendizagem cooperativa. Porto: Edições ASA.

Bom, L. (2012). A heterogeneidade das turmas: a influência da composição dos grupos sobre a oportunidade para aprender. Tese de Doutoramento não publicada. Lisboa: Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias.

Caballo, V.; Marinho, M. (2002). Comportamento antissocial infantil e o seu impacto para a competência social. Psicologia, Saúde e Doença, 3(2), 141-147.

Camiré, M.; Santos, F. (2019). Promoting positive youth develop-ment and life skills in youth sport. Journal of Sport Pedagogy and Re-search, 5(1), 27-34.

Campos, F.; Melo, R.; Martins F.; Damásio, A.; Mendes, R.; Gomes, R. (2018). Estilo de vida, prática desportiva, composição corporal e competência motora em crianças do ensino Pré-escolar e do 1.º CEB (FORMIGA). II Fórum da REDESPP, ESECS-IP Leiria (Portugal): REDESPP, ESECS-IP.

Caride, J.; Gradaílle, R.; Caballo, M. (2015). De la pedagogía so-cial como educación, a la educación social como Pedagogía. Pedagogía Social y Educación Social, 148, 4-11.

Chicon, J. (2008). A inclusão e exclusão no contexto da Educação Física escolar. Movimento, 14(1), 13-38.

Decreto-Lei n.º 55/2018 de 6 de julho. Lisboa: DR n.º 129 - I Série.

Glass, G.; Hopkins, K. (1996). Statistical methods in education and psychology (3rd ed.). Needham Heights: Allyn & Bacon.

Guerra, I. (2006). Pesquisa qualitativa e análise de conteúdo. Parede: Princípia.

Hill, M.; Hill, A. (2002). Investigação por questionário (2a ed.). Lisboa: Sílabo.

Jacinto, J.; Comédias, J.; Mira, J.; Carvalho, L. (2001). Programa Nacional de Educação Física - Reajustamento. Lisboa: Ministério da Edu-cação.

Kirk, D.; MacPhail, A (2002). Teaching games for understanding and situated learning: rethinking Bunker-Thorpe Model. Journal of Teach-ing in Physical Education, 21, 177-192.

Maroco, J. (2010). Análise estatística com PASW. Lisboa: Report Number.

Marques, P.; Castanha, M. (2011). O que é a escola no sentido construído pelos alunos. Revista da Associação Brasileira de Psicologia Escolar e Educacional - SP,15(1), 23-33.

Ministério da Educação - DGE (2018). Para uma educação inclusiva: manual de apoio à prática. Lisboa: Ministério da Educação.

Mosston, M.; Ashworth, S. (1993). La enseñanza de la Educación Física. Barcelona: Editorial Hispano Europea.

Muñoz-Arroyave, V.; Lavega-Burgués, P.; Costes, A.; Damian, S.; Serna, J. (2020). Juegos motores como recurso pedagógico para favore-cer la afectividad desde la Educación Física. Retos, 38, 166-172.

Northway, M.; Weld, L. (1999). Testes sociométricos: guia para professores. Lisboa: Horizonte.

O’Donoghue, P. (2013). Statistics for sport and exercise studies: an introduction. Oxon: Routledge.

OCDE (2018). The future of education and skills education 2030. Paris: OCDE.

Pallant, J. (2011). SPSS survival manual. A step-by-step guide to data analysis using SPSS (4th ed.). Crows Nest: Allen & Unwin.

Peixoto, F. (2004). Qualidade das relações familiares, autoestima, autoconceito e rendimento académico. Análise Psicológica, 1(22), 235-244.

Pereira, A.; Patrício, T. (2013). SPSS: guia de utilização. Lisboa: Sílabo.

Pestana, M.; Gageiro, J. (2008). Análise de dados para as ciências sociais. A complementaridade do SPSS (5a ed.). Lisboa: Sílabo.

Queupil, J. P.; Montecinos, C. (2020). El Liderazgo Distribuido para la Mejora Educativa: Análisis de Redes Sociales en Departamentos de Escuelas Secundarias Chilenas. Revista Iberoamericana sobre Cali-dad, Eficacia y Cambio en Educación, 18(2), 97-114. DOI: https://doi.org/10.15366/reice2020.18.2.005

Rosado, A. (1998). Nas margens da Educação Física e do desporto. Lisboa: FMH.

Rosado, A. (2003). Conceitos básicos sobre planificação didática. In V. Ferreira (Ed.), Pedagogia do Desporto - Estudos 7 (pp. 27-47). Lisboa: FMH.

Sancho, J. (2020). Investigación para transformar y mejorar la Educación. Revista Iberoamericana sobre Calidad, Eficacia y Cambio en Educación, 18(2), 5-15.

Santos, C.; Silva, K.; Santos, R.; Silva, F. (2017). A contribuição das aulas de Educação Física para inclusão do aluno com TEA. ENAEDI, 1(1), 1-5.

SPEF (2019). Avaliação em Educação Física: perspetivas e desenvolvimento. Lisboa: Omniserviços.

Silva, J. (2010). A análise das relações interpessoais na aula de Educação Física. Revista da Graduação, 3(1), 1-11.

Vygotsky, L. S. (2001). Psicologia pedagógica. São Paulo: Martins Fontes.