Considerações sobre o uso de antologias de textos literários no Ensino Básico TITLE: School books and anthologies: towards a return of readings to School

Pedro Balaus Custódio

Resumen


As antologias de textos literários para uso escolar, recurso muito popular e útil usado até à década de 80, foram progressivamente mudando a face e dando lugar aos manuais escolares. Entre um e outro instrumento de recontextualização pedagógica, este último afastou da cena escolar o primeiro, com algumas vantagens, mas também, com visíveis empobrecimentos da formação leitora.

Numa altura em que a educação literária regressa aos palcos programáticos do ensino básico com renovada vitalidade, conviria reequacionar a pertinência, o alcance e o papel que podem desempenhar as antologias escolares, e as funções supletivas que cumprem, bem como a capacidade que têm para reintroduzir nas aulas mais literatura, mais autores e mais propostas de leitura.

Assim, estas observações ensaiam uma solução didática que, não retirando aos manuais escolares a sua centralidade pedagógica, pode redesenhar a forma como os alunos contactam com os textos e como trabalham a educação literária.

ABSTRACT

The anthologies of literary texts for school purposes, a very popular and useful resource used up to the 80s, gradually changed their face and gave way to textbooks. This latter recontextualising instrument has some advantages but also visible impoverishments for reading training.

At a time when the literary education returns to the programmatic stage of basic education with renewed vitality, we should rethink the relevance and the role of school anthologies, the supplementary functions and the ability they have to reintroduce more literature, more authors and texts.

Thus, these observations rehearse a didactic solution, not removing the textbooks from their pedagogical centrality, but redesigning the way the students could contact, with the texts and the literary education.

 


Palabras clave


Educação literária, antologia literária, ensino básico, didática da literatura; Keywords: Literary education, literary anthologies, basic education, literature teaching

Citas


Alarcão, I. (Coord.) (2004). Percursos de consolidação da didáctica de línguas em Portugal. Investigar em Educação. Revista da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, 3, 235-302.

Ballester, J. (2015). La Formación Lectora y Literaria. Barcelona: Graó.

Bento, M. da C. Reis Lima (2008). A Língua Portuguesa na Educação Básica. O Discurso sobre a Reorganização Curricular e a sua Recontextualização Pedagógica. (Tese de Doutoramento). Universidade do Minho: Braga.

Bentolila, A., Chevalier, B., Falcoz-Vigne, D. (1991). La lecture. Apprentissage, évaluation, perfectionnement. Paris: Nathan.

Bernardes, J. A., Mateus, R. A. (2013). Literatura e ensino do português. Lisboa: Fundação Francisco Manuel dos Santos.

Brito, A. (1999). A problemática da adopção dos manuais escolares. Critérios de reflexão. In R. V. Castro, A. Rodrigues, J. L. Silva et al. (Orgs.). Manuais escolares: estatuto, funções, história. Braga: Universidade do Minho, pp. 139-148.

Buescu, H. C., Morais, J., Rocha, M. R., Magalhães, V. F. (2012). Metas curriculares de português do ensino básico. Lisboa: Ministério da Educação.

Cabral, M. (2005). Como analisar manuais escolares. Lisboa: Texto Editores.

Carvalho, A. Dias de (2009). Os manuais escolares na relação escola-família. Porto: ORE – Observatório dos Recursos Educativos.

Carreira, J. S., Sá, C. M. (2004). O papel do conhecimento prévio na compreensão na leitura: estratégias de activação e desenvolvimento. In M. H. A. e Sá, M. H. Ançã, A. Moreira (Coord.), Transversalidades em Didáctica das Línguas. Aveiro: Universidade de Aveiro, pp. 73-82.

Castro, R. V. et al. (orgs.) (1999). Manuais escolares: estatuto, funções, história. Braga: Universidade do Minho.

Ceia, C. (1999). A Literatura Ensina-se? Estudos de teoria Literária. Lisboa: Edições Colibri.

Choppin, A. (1992). Les manuels scolaires. Histoire et actualité. Paris: Hachette.

Choppin, A. (1999). Les manuels scolaires: De la production aux modes de consommation. In R. Vieira de Castro, A. Rodrigues, J. L. Silva, & M. L. Dionísio de Sousa (orgs.), Manuais escolares, estatuto, funções, história, Actas do I encontro internacional sobre manuais Escolares. Braga: Universidade do Minho, 3-18.

Choppin, A. (2004). História dos livros e das edições didáticas: sobre o estado da arte. Educação e Pesquisa, 3, 549-566.

Correia, J. A., Matos, M. (2001). Solidões e solidariedades nos quotidianos dos professores. Porto: Edições ASA.

Costa, M. A. (1998). Saber ler e saber ensinar a ler do Básico ao Secundário. In R. V. Castro & M. L. Sousa (orgs.), Linguística e Educação. Lisboa: Edições Colibri/Associação Portuguesa de Linguística, pp. 69-82.

Dionísio, M. L. (2000). A construção escolar de comunidades de leitores. Coimbra: Livraria Almedina.

Dionísio, M. L. (2005). Literatura, leitura e escola. Uma hipótese de trabalho para a construção do leitor cosmopolita. In A. Paiva, A. Martins, G. Paulino, Z. Versiani (orgs.). Leituras Literárias: discursos transitivos. Belo Horizonte: Ceale.

Dionísio, M. L. (2014). Avaliações internacionais da leitura: E a literatura? In C. A. Belmiro, F. I. P. Maciel, M. C. Baptista & A. A. Martins (Org.), Onde está a literatura? Seus espaços, seus leitores, seus textos, suas leituras. Belo Horizonte (Brasil): UFMG (Universidade Federal do Mato Grosso), pp.100-122.

Duarte, S., Outeirinho, F., Ponce de León, R. (Orgs.). (2014). Dos Autores de Manuais aos Métodos de Ensino das Línguas e Literaturas Estrangeiras em Portugal (1800-1910). Faculdade de Letras da Universidade do Porto: Centro de Linguística da Universidade do Porto.

Fonseca, F. I. (2000). Da inseparabilidade entre o ensino da língua e o ensino da literatura. Atas do V Congresso Internacional de Didática da Língua e da Literatura. Coimbra: Almedina.

Fraga, M. do C. (2010). E tudo o mais renova... A função das antologias literárias. In Língua Portuguesa: Ultrapassar fronteiras, juntar culturas. M. J. Marçalo & M. C. Lima-Hernandes, E. Esteves, M. do C. Fonseca, O. Gonçalves, A. L. Vilela, A. A. Silva (Eds.). Évora: Universidade de Évora.

Gérard, F., Roegiers, X. (1998). Conceber e avaliar manuais escolares. Porto: Porto Editora.

Giasson, J. (2004). La lecture. De la théorie à la pratique. Bruxelles: De Boeck.

Martins, M. E., Sá, C. M. (2008). “Ser leitor no século XXI – Importância da compreensão na leitura para o exercício de uma cidadania responsável e activa.” Saber (e) Educar, 13, 235-246.

Martins, M. E., Sá, C. M. (2009). O manual escolar de Língua Portuguesa e o seu papel na promoção da leitura e da literacia. Exedra, 9, 209-224. Disponível em: http:www.exdrajournal.com/docs/202/219-MariadaEsperança.pdf

Martínez Bonafé, J. (2007). Trabajar en la escuela. Profesorado e reformas en el umbral del siglo XXI. Buenos Aires / Madrid: Miño y Dávila Editores.

Rita, A. (2014). Luz & Sombras do Cânone Literário. Lisboa: CLEPUL.

Morgado, J. C. (2004). Manuais escolares. Contributos para uma análise. Porto: Porto Editora.

Pennac, D. (2010). Como um Romance. Porto: ASA.

Pieper, I. (2006). The Teaching of Literature. Strasbourg: Language Policy Division. Disponível em: www.coe.int/t/dg4/linguistic/Source/Pieper_EN.doc.

Silva, V. A. (2010). As Humanidades, os Estudos Culturais, o Ensino da Literatura e a Política da Língua Portuguesa. Coimbra: Almedina.

Soares, M. (2003). A escolarização da literatura infantil e juvenil. In Evangelista, A. Alves Martins; Brandão, H. M. B.; ? Machado, M. Z. Versiani (Orgs.). A escolarização da leitura literária. O jogo do livro infantil e juvenil. Belo Horizonte: Autêntica.


Texto completo: PDF (Português (Portugal))

Refbacks



Creative Commons License
Este trabajo está licenciado bajo la licencia Creative Commons Attribution 3.0 .